1 de março de 2011

Revolta nos EUA IV - Continuam os protestos em Wisconsin




Mais uma vez, cerca de 70.000 manifestantes saíram à rua este fim-de-semana em Wisconsin, para protestar contra o projecto de lei do governador republicano Scott Walker, os protestos entraram agora na terceira semana, numa altura em que os professores começaram a receber avisos de despedimento.

As autoridades tinham dado aos manifestantes, o prazo de domingo à tarde para sair do Capitólio, alegando que precisava de ser limpo, após cerca de duas semanas de ocupação e protestos. Alguns deixaram o edifício mas outros não cumpriram a ordem e permaneceram, dispostos arriscar a própria liberdade. Entretanto a polícia afirmou que não os obrigavam a sair, mas que não podia deixar entrar mais ninguém, os manifestantes gritaram "obrigado" para agradecer, nenhuma detenção foi feita até ao momento.

Os senadores democratas que fugiram de Wisconsin para impedir a votação e aprovação do projecto de lei, continuam a ludibriar a polícia, ao pernoitarem todos os dias em sítios diferentes, no estado de IIIinois. Ao todo são 14 democratas em fuga e estão em minoria no senado.   
Scott Walker adverte os senadores para "voltar e fazer o seu trabalho", enviou de agentes da polícia a suas casas, no sentido de pressionar o seu regresso, mas... encontram-se vazias. Conseguiu que só ele próprio, dê a autorização para os mesmos receberem os seus salários e só recebem quando se apresentarem no senado. É o vale tudo!
Os democratas do estado do Indiana fizeram o mesmo que os colegas de Wisconsin, fugiram, não dando assim hipótese de aprovação aos republicanos de um projecto de lei idêntico.

O presidente Barack Obama, parece que já disse mais alguma coisa sobre o assunto, expressou publicamente o seu apoio, a todos aqueles que lutam para manter o direito à negociação colectiva em Wisconsin.
Obama está nitidamente preocupado com a sua reeleição, tentando não perder o apoio e os votos dos sindicalistas, que tão importantes foram na sua eleição.


2 comentários:

  1. O que está acontecer nos EUA, parece um filme...

    ResponderEliminar
  2. E não passa no circuito comercial...

    ResponderEliminar